O COURO - Curtimento Vegetal

O couro é uma matéria prima nobre, de natureza animal, resultante de uma técnica conhecida como curtimento. Esta técnica tem como objetivo o reaproveitamento e a preservação da pele animal proveniente da indústria alimentícia, que do contrário, seria descartada.

O curtimento trata a pele do animal, transformando-a em um material de alta resistência, durabilidade e com diversas aplicações.

NOSSOS COUROS
Autêntico, respeitoso e durável. Nosso couro fica ainda mais bonito com o passar do tempo.

Nossos couros são de origem bovina, com processo de curtimento vegetal (Veg Tan), tingido e acabado no próprio curtume. Este processo de curtimento baseia-se na utilização de extratos naturais como cascas de árvores e outras fontes naturais derivadas de plantas, incorporados à pele animal em um procedimento 100% natural, amigável ao meio ambiente.
Entre nossos artigos, um dos mais famosos é o Pull Up Veg Tan, um couro graxo da mais alta classificação mundial que possui uma flor integral, aparência rústica e lustrosa, recheado com ceras e óleos especiais, que trazem um efeito único. A flor fica mais clara quando é submetido a dobra. Adquire com facilidade marcas de uso, sumindo gradativamente com o tempo, conforme as ceras e óleos sobem para flor. 


Todos os produtos da Omnes são inteiramente feitos em couro, o que, somado aos trabalhos manuais de corte, montagem, costura e acabamento, criam um produto final único, repleto de personalidade, e com um alto valor agregado.

DEFEITO OU CARACTERÍSTICA?

A nobreza do couro está relacionada à sua exclusividade. Por se tratar de uma matéria prima orgânica, nenhuma pele é igual a outra e, consequentemente, o produto desenvolvido a partir deste material torna-se único também.

O couro nobre é de procedência animal. Não caia na conversa de que "couro ecológico" é uma das mil maravilhas do mundo, couro de verdade vem com imperfeições. 
Pequenas diferenças em sua textura, espessura, cor, e lesões sutis, podem ser encontradas em uma mesma pele, e consequentemente em um produto. Estes exemplos citados, não são considerados defeitos, mas sim, características naturais da pele, essenciais para identificar o couro, e que fazem parte da beleza e exclusividade do material.

COMO IDENTIFICAR UM PRODUTO EM COURO?

Atualmente, o mercado apresenta diversos materiais criados com o intuito de reproduzir uma superfície semelhante ao couro. Alguns são desenvolvidos a partir de fibras orgânicas, e outros a partir de elementos inorgânicos, chamados materiais sintéticos como Poliuretano (PU) ou Policloreto de Vinila (PVC). Visualmente, é difícil notar as diferenças, no entanto, nada se compara ao artigo original em termos de durabilidade, aparência e comportamento.

Uma das características marcantes do couro é o seu cheiro, e este é um dos aspectos que ajudam a reconhecer se um produto foi feito com couro, pois dificilmente um material sintético, ou um material desenvolvido a partir de fibras naturais, poderá reproduzir o aroma original da pele animal tratada.

Além disso, o couro, por sua natureza orgânica, se reintegra facilmente ao meio ambiente quando descartado, o que não ocorre com os demais materiais sintéticos.

COURO X TEMPO

Desde seu curtimento até o fim de sua vida útil, o couro passa por um processo natural e maravilhoso chamado "Pátina", que nada mais é que a absorção de resíduos externos, como: umidade, poeira, suor, calor, luz, arranhões e etc. Isso quer dizer que quaisquer características que ele irá adquirir ao longo do tempo fará parte deste seu processo. Para cada tipo de uso, o couro pode clarear ou escurecer, se tornar mais lustroso ou opaco. Nós apreciamos este processo, e cada artigo vendido em nossa loja irá contar uma história durante sua jornada. Desafiamos você a contar a sua.

A LEI DO COURO

No Brasil, existe uma lei que proíbe o uso de expressões como “couro sintético”, “couro ecológico”, entre outras. A Lei 4.888, destaca que somente produtos oriundos de pele animal podem receber a denominação “couro”.

Também conhecida como Lei do Couro, ela foi elaborada e assinada pelo Presidente da República na década de 1960, e proíbe a utilização do termo couro em produtos que não sejam obtidos exclusivamente de pele animal. A sua infração constitui crime de concorrência desleal previsto no artigo 195 do Código Penal, cuja pena é detenção do infrator de 3 meses a 1 ano ou multa:

Lei n° 4.888, de 9 de dezembro de 1965.

Faço saber que o CONGRESSO NACIONAL decreta e eu sanciono a seguinte Lei:
Art. 1° Fica proibido pôr à venda ou vender, sob o nome de couro, produtos que não sejam obtidos exclusivamente de

pele animal.
Art. 2° Os produtos artificiais de imitação terão de ter sua natureza caracterizada para efeito de exposição e venda.
Art. 3° Fica também proibido o emprego da palavra couro, mesmo modificada com prefixos ou sufixos, para denominar
produtos não enquadrados no art. 1°.
Art. 4° A infração da presente Lei constitui crime previsto no art. 196 e seus parágrafos do Código Penal.
Art. 5° …Vetado…
Art. 6° Revogam-se as disposições em contrário.





Brasília, 9 de dezembro de 1965; 144° da Independência e 77° da República. – PRESIDENTE DA REPÚBLICA

CUIDADOS COM O COURO
Clique aqui e saiba como cuidar do seu produto.